Família Bilharinho
A Família Bilharinho



Sobre a Galícia


Pentes está na Europa.
Dentro da Europa, na Espanha e, dentro da Espanha, na região da Galícia.

Mapa da Espanha


Dentro da Galícia, na província de Ourense.



Em Ourense, no povoado de La Gudiña.



La Gudiña

Foto de A Gudiña extraída do site
http://www.turismourense.com/castellano/marcototal.htm, cuja utilização foi gentilmente autorizada pelo site.
O povoado de La Gudiña se encontra a sudeste da província de Ourense. Tem mais de 2.000 habitantes, distribuídos em seus núcleos de população. Atualmente, a maioria se dedica ao trabalho no comércio, hotelaria, construção e outros serviços e, uma minoria, à criação de gado e à agricultura.

Tem 179,6 km2 de extensão e está a uma altitude de mais de 900 metros sobre o nível do mar. O aspecto mais notório do relevo dessa região é a elevada altitude, que, raras vezes, está abaixo dos 800 metros. A parte meridional da divisa, junto dos povoados limítrofes de A Mezquita e Riós, constitui a denominada Terra de Frieiras.



As terras de La Gudiña se limitam com os povoados de Viana do Bolo no norte; Vilariño de Conso a noroeste; Castrelo do Val a oeste; Rios a sudoeste; Mezquita a este; e ao sul com o país vizinho, Portugal.

La Gudiña é a sede do povoado e os núcleos de povoação a ela pertencentes são: Pentes (San Mamede), Barxa (San Xoán), Erosa, Carracedo da Serra (Santiago), O Cañizo (Santa María), O Tameirón (Santa María), Parada da Serra (San Lucas), San Lourenzo de Pentes (San Lourenzo), Seixo, os Mesones de Purrián e Prieto; e as Vendas de Espiño, Campanarios, A Teresa e a Capilla.

Por estrada se chega a La Gudiña através da autovia A-52 e pela C-535 que a une a Viana do Bolo. La Gudiña constitui um cruzamento de caminhos e dispõe também de linha férrea.

Pode-se definir seu clima como oceânico de montanha com traços continentais. As temperaturas são muito baixas no inverno (4,3 Cº em fevereiro) e o verão é seco e fresco (18 Cº agosto), sendo a média anual de 10,3 Cº.

As terras de La Gudiña foram visitadas, desde antigamente, por povos que deixaram suas marcas. A cronologia vai desde a Idade do Bronze, passando pelas épocas romana, visigoda e medieval, encontrando-se, ao longo da região, rochas, minerais ou fósseis, podendo ser citados os seguintes:

Em La Gudiña, nas paragens da Ribeira em uma lombada com caída em direção ao rio do mesmo nome, localiza-se um castroAldeia da Galícia pré-histórica, fortificada com um ou vários muros de forma oval ou circular, formada por construções também circulares ou ovais, geralmente situada num alto. As construções retangulares dos castros se devem à influência dos romanos. muito romanizado, chamado Pico Sacro, onde se pode observar a entrada de uma gruta, buraco ou mina, onde as pessoas de idade avançada diziam que em seu interior estava escondido um tesouro e que tal buraco teria saída muito próxima à ponte do rio.

Rio da Ribeira em La Gudiña


Em O Seixo foram encontrados os restos de um cemitério medieval, não se descartando que no mesmo lugar poderia bem haver um povoado de idade antiga.

Nas imediações do rio de Fraga, existem também gravações em umas rochas. Já no povoado, em uma fachada de uma casa antiga, podem-se observar uns esplêndidos baixos relevos visigodos, havendo, além disso, referências a MedorraTúmulo, em terminologia própria da Galícia. ou Las QuintasSuntuosas casas de campo, às quais os romanos deram esse nome, para definir o custo do arrendamento que era fixado na quinta parte do que a propriedade produzia..

Em Barxa, muito próximo ao rio, em um lugar denominado O Castro, encontram-se os restos de um "castro"Aldeia da Galícia pré-histórica, fortificada com um ou vários muros de forma oval ou circular, formada por construções também circulares ou ovais, geralmente situada num alto. As construções retangulares dos castros se devem à influência dos romanos. muito bem situado.

Em Venda da Teresa, num lugar chamado Toco da Moura, pode-se observar a entrada de uma gruta ou mina, onde existe a inscrição de que no seu interior se encontra um tesouro e que, todas as manhãs, saía uma princesa moura, que penteava seus cabelos dourados com pente de ouro, e que a dita cova teria saída numa ladeira que dá no rio Camba, que hoje se encontra cortado por um túnel de ferrovia.

Em Venda da Capela existe uma inscrição de que no lugar chamado a Papeira existia uma gruta, onde havia um tesouro escondido pelos mouros.

Foto da Igreja de S. Pedro Y S. Martiño extraída do site http://www.turismourense.com/castellano/marcototal.htm, cuja utilização foi gentilmente autorizada pelo site.


Por La Gudiña atravessa a Via da Plata que, desde o sul, se dirige a Santiago. Entre as diversas igrejas e capelas se sobressaem duas, ambas em La Gudiña: a igreja de S. Martiño (séculos XVII-XVIII), com uma interessante fachada em frontalEm arquitetura, arremate triangular de uma fachada de estilo clássico, que às vezes se coloca em cima de portas e janelas, geralmente adornado com esculturas ou relevos. O frontal do Partenón., e a de S. Pedro (século XVII) de tipologia castelhana.









Mapa da Região de Ourense


Fontes de pesquisa:
http://www.inorde.com
http://www.crtvg.es/concellos/entrada.asp?identificador=3044
http://www.galiciaonline.info/ourense.htm
http://www.siam-cma.org/mapa/cartografia.html
http://www.fotosdegalicia.com/mapas/
http://concelloarteixo.fegamp.es


Links sobre a Galícia:
http://www.galinor.es/llegar/m-our.html
http://www.inorde.com
http://www.agalicia.com/
http://www.crtvg.es/concellos/entrada.asp?identificador=3044
http://www.fiestasatope.com/paginas/Meses%20-%20Provincias/fiestas%20ourense%20-%20%20junio.htm
http://www.gpx.es/mapas/coviana.html
http://www.galiciaonline.info/ourense.htm
http://www.siam-cma.org/mapa/cartografia.html
http://www.arrakis.es/~sloren/gouren24.htm


Pesquisa realizada por Fernanda Bilharinho de Mendonça - abril/2003.

© Copyright 2003 - Família Bilharinho. Todos os direitos reservados.